Seguidores

Atributos do espírito - Por Luiz de Mattos

O que é o espírito?

O espírito ou alma somos nós, encarnados em um corpo físico.

O espírito ou partícula de luz (cada um de nós) faz parte do Universo.

O espírito é luz, é Força, é eterno e também chamado de corpo mental, não morre nunca. Quem morre e se transforma é o corpo físico que é Matéria.

O espírito é inteligência, é vida, é poder criador e realizador. Nele não há matéria em nenhuma de suas fases de desenvolvimento.

É, portanto, imaterial. Partícula individualizada, assim se conserva em toda a trajetória que faz no processo da evolução.

O espírito é indivisível, eterno, e evolui para o aperfeiçoamento cada vez maior. Como partícula do Todo, é inseparável dele e subsiste a qualquer transformação, nada havendo que o possa destruir.

Dá-se à partícula da Força, desde que inicia o processo evolutivo em corpo humano, a denominação de espírito, denominação que mantém daí por diante em sua caminhada evolucionária.

No espaço infinito do Universo, em que a Inteligência Universal vibra, sem interrupção, acusando permanente ação consciente e constantes demonstrações de vida, o espírito se exprime por movimentos vibratórios em todas as atividades.

Os movimentos são irradiados de um núcleo de Força, que é o espírito, na imensidão de uma essência idêntica, que é o Todo, assinalando o poder atrativo que faz com que atributos desse Todo convirjam para o núcleo, desenvolvendo-o e dando-lhe maior potencialidade.

Os atributos do espírito, inerentes ao Todo são:

inteligência
raciocínio
vontade
consciência de si mesmo;
domínio próprio
equilíbrio mental
lógica
percepção
sensibilidade
capacidade de concepção
caráter

Inteligência
A inteligência, como atributo mestre do espírito, orienta os demais, apurando-os e contribuindo para torná-los melhores e mais eficientes. Da inteligência dependem, pois, os outros atributos espirituais que se criam, expandem, crescem, ampliam e aprimoram, de acordo com a evolução do espírito.

A inteligência está na retaguarda do raciocínio, provendo-o dos meios necessários ao seu desdobramento. Ela dá alcance ao horizonte do espírito, é o instrumento capaz de clarear a mente do ser humano, proporcionando-lhe maior discernimento sobre a vida espiritual.

Grande aliada da perfeição, a inteligência faz com que a pessoa reconheça as suas falhas e procure evitá-las.

Raciocínio
O raciocínio constitui valioso atributo espiritual de que dispõe o ser humano para analisar os fatos da vida e tirar dos acontecimentos as lições que lhe puderem ser úteis.

O raciocínio é como que uma luz projetada sobre os problemas difíceis da existência, para torná-los claros e compreensíveis.

Além de nortear o espírito no curso da sua evolução, ele representa, ainda, um poderoso instrumento de defesa contra o convencionalismo mundano, contra o fanatismo, contra as mistificações de qualquer natureza, que produzem subordinações indicativas de formas agudas ou amenas de avassalamento.

Vontade
A vontade é a mais poderosa alavanca de que dispõe o ser para chegar ao triunfo, não existindo dificuldade ou obstáculo – dentro, naturalmente, das limitações humanas – que não seja capaz de superar. Ela tem o poder de subjugar o desânimo, a timidez, as fraquezas, as paixões, os vícios, os desejos intemperados, quando o ser humano sabe utilizar-se, conscientemente, desse atributo espiritual.

É comum as pessoas confundirem vontade com desejo, apesar de serem, na verdade, coisas diferentes. Quando o ser humano é envolvido por um desejo inferior e possui a vontade suficientemente exercitada, esta intervém, domina e vence o desejo.

A força de vontade é chama interior que conduz à vitória os que a sabem alimentar, mesmo nas lutas mais árduas e difíceis da vida. É resultado de uma série de sucessos alcançados pelo espírito, com esforço e decisão, nas existências anteriores em corpo humano e, como expressão de valor, uma fortaleza indestrutível para qualquer um.

Consciência de si mesmo
A consciência de si mesmo faz com que o ser humano não ultrapasse as suas possibilidades, dispersando, em pura perda, as energias que possui. Ela significa, pois, a autoapreciação no seu real sentido, não dando lugar à exaltação da vaidade nem à falsa modéstia, já que a magnitude e o valor espiritual são encarados sempre dentro de uma rigorosa visualização normal.

De posse da consciência de si mesma, a pessoa procede com simplicidade, imparcialidade e respeito aos semelhantes, por saber que todos têm uma origem comum e fazem, sem distinção, o mesmo curso evolutivo.

Domínio próprio
O domínio próprio assegura ao ser humano o controle íntimo, evitando atos impulsivos e atitudes impensadas que o possam levar a cometer desatinos, muitos dos quais irreparáveis, de que se vem a arrepender mais tarde, como acontece na maioria das vezes.

A pessoa precisa estar sempre alerta e vigilante, consciente de que é força espiritual que vibra incessantemente, atraindo e repelindo. Correntes favoráveis e desfavoráveis ao seu progresso e bem-estar enchem o espaço, cruzando-se em todas as direções.

Daí a necessidade do domínio próprio, para não se deixar influenciar por irradiações adversas, procedendo, unicamente, de acordo com sua vontade.

Equilíbrio mental
O equilíbrio provém da apuração dos sentidos, do temperamento bem ajustado às realidades da vida, da serenidade, da compreensão exata das possibilidades e da justa apreciação dos fatos.

A calma, a serenidade, a moderação, as atitudes ponderadas, a reflexão, o critério e o bom senso são qualidades reveladoras de equilíbrio mental, por meio do qual a pessoa, no torvelinho da existência terrena, procede com maior segurança e se abstém da prática dos erros comuns. Logo, a lapidação desse atributo deve ser objeto de constantes cuidados, pois ele desempenha um papel da mais alta significação no processo da evolução espiritual.

Lógica
A lógica é um atributo que dá a cada pessoa coerência em suas atitudes, congruência na condensação das ideias e ordenação nos pensamentos. É, por excelência, resultante da educação e do aprimoramento espiritual do ser humano, possibilitando que, de acordo com seu estágio evolutivo, formule suas conjecturas em bases firmes, objetivas e reais.

Sem aperfeiçoamento espiritual, a lógica é de todo impossível.
Assim, nenhuma afirmação poderá ter bases sólidas se não for firmemente apoiada nesse importante atributo.

Percepção
Na percepção pesam determinados fatores psíquicos que representam valores reais, facilmente reconhecíveis. Dela são fortes componentes os recursos da intuição e da inspiração, que possuem importância destacada entre os demais atributos espirituais e as próprias ações humanas.

Intimamente ligada ao poder de penetração do espírito, à sua agudez, perspicácia e sensibilidade, a capacidade de percepção, além disso, exerce notável influência no terreno da observação, revelando-lhe aquilo que as conveniências tantas vezes escondem.

Quando a prudência intervém, cautelosa, nas resoluções de uma pessoa, é ainda a sua capacidade de percepção que lhe fornece os elementos de decisão.

Sensibilidade
A sensibilidade é atributo de que dispõe o espírito para sentir as correntes vibratórias do meio ambiente, por trás do invólucro das aparências. É pela sensibilidade que se percebe o sentimento afim que congrega, que une, que irmana os seres de idênticos ideais e de iguais aspirações.

É a sensibilidade, ainda, o instrumento da alegria e da dor – dor que faz, não poucas vezes, a pessoa desatenta, indiferente e distante do cumprimento do dever, concentrar-se em si mesma, despertar e voltar-se para a realidade da vida.

Capacidade de concepção
Na capacidade de concepção estão o gênio inventivo, as criações do pensamento e a engenhosa força realizadora de todas as transformações e melhoramentos. Essencialmente construtiva, a ela se deve, como elemento propulsor, o desenvolvimento progressivo da humanidade.

Tanto nas artes quanto nas ciências, letras e todos os setores das atividades humanas, a capacidade de concepção ocupa posição de inconfundível relevo. A formação das riquezas lhe é devida, assim como as abnegações, os desprendimentos e as renúncias, por ser ela cultivada, via de regra, em benefício da coletividade.

Caráter
O caráter, como tantos outros atributos, patenteia, inequivocamente, a evolução espiritual do ser humano. 

Os que possuem firmeza de caráter dão sempre os melhores, os mais admiráveis exemplos de retidão em todos os atos da vida.

Como resultado da combinação harmônica com os demais atributos já mencionados, o caráter revela suficiente amadurecimento espiritual e efetivas condições para a ascensão a classe evolutiva mais elevada.

Portanto, são inumeráveis os atributos do espírito, que aumentam e se desdobram na razão direta do seu crescimento spiritual.

Atributos do espírito

Fonte:
Livro Prática do Racionalismo Cristão 
Biblioteca digital do Racionalismo Cristão


Seguidores

Vale a pena visitar